Segundo comunicado do Departamento de Energia dos Estados Unidos, o país está investindo cerca de 425 milhões de dólares em pesquisas de desenvolvimento para computação em escala extrema a fim de montar dois supercomputadores, os quais serão os mais rápidos do mundo.

Os computadores, que ficarão no Laboratório Nacional de Oak Ridge, no Tennesse e no Laboratório Nacional Lawrence Livermore, na Califórnia, deverão operar com 150 e 100 petaflops, respectivamente. Superando o Tianhe-2, da China, atual computador mais veloz do mundo e que opera com 55 petaflops.

Os dois computadores estadunidenses serão utilizados para pesquisas em ciências básicas e armamentos nucleares.