Quando pensamos em rede ou cabeamento estruturado, logo vem à mente o seguinte cenário: rack, switch, patch panel e a distribuição de cabos UTP saindo abaixo do piso elevado ou de canaletas estruturadas. Porém, com o avanço da tecnologia, esse cenário começa a mudar e o cabeamento metálico (CAT 5, CAT 5e e outros) tende a dar lugar a fibra óptica.

      Normalmente a infraestrutura de redes locais (LAN) é baseada em switchs ativos, distribuídos em uma topologia física de 2 ou 3 níveis. Todo o cabeamento é metálico, onde são trafegados sinais de alta frequência entre os switchs e hubs e os dispositivos finais. Neste caso, a velocidade de transmissão dos dados cresceu de 10Mbps (megabits) para incríveis 10Gbps (gigabits), forçando a indústria de telecomunicações a se adaptar para tal velocidade.

      Traduzindo a uma linguagem um pouco mais clara: com o aumento da banda, o sistema passou a utilizar uma frequência maior (entre 10MHz e 500MHz) e sabe o que isso significa? Que o cabo metálico precisou se tornar mais eficiente para que não houvesse perda de sinal. E como isso ocorreu?  Utiliza-se um sistema de quatro pares de fios que cancelam ruídos de interferência. Esse tipo de cabo precisa de mais material e plástico, o que o torna maior e ocupa mais espaço em canaletas. Podemos ainda citar um aumento significativo de energia elétrica nas salas técnicas afinal, um cabo metálico não pode ter distancia maior do que 100 metros.

             E onde queremos chegar com essas informações?

      Como citado anteriormente, a fibra óptica tende a ganhar espaço e assumir o lugar do atual cabo metálico UTP. Mas esse assunto se torna mais interessante quando falamos de fibra óptica ligada diretamente ao usuário final. Para que isso seja viável, trabalha-se com a tecnologia GPON, que é amplamente usada em redes de acesso na entrega de serviços tripleplay (dados, voz e vídeo) a assinantes residenciais, utilizando a fibra óptica desde o escritório central do provedor até as residências dos assinantes. E quem fornece esse tipo de infraestrutura é a Furukawa através da solução de Laserway, que leva a fibra até a mesa do usuário por um caminho mais simples e muito mais longo, diminuindo espaços de calhas e eletrocalhas, além de redução de espaço em Data Centers. A quantidade de cabos ópticos é muito menor se comparado com a de metálicos.

              Com Laserway, a redução de custos é muito significativa e pelos seguintes motivos:

a)    Baixo Consumo de energia: Com a retirada de Switchs ativos dos DC, diminui o consumo e diminui os equipamentos de elétrica.
b)    Melhor controle de banda
c)    Rede 100% óptica
d)    Economia de Capex

A Qualityware juntamente com a Delta Cable é integradora autorizada Furukawa para esta e muitas outras soluções de infraestrutura.

Quer saber mais? Clique aqui e descubra!